sábado, 27 de abril de 2013

O Legado de Bell

"Não é a palavra fácil/ que procuro./ .../ Procuro a palavra fóssil./ A palavra antes da palavra./ .../ Esta que me antecede / e se antecede na aurora/ e na origem do homem".
Que bela descrição do esforço do poeta para libertar um sentido.
Falar sobre poesia é falar de arte, e a arte, em todas as suas formas é sagrada. E ao contrário do que muitos pensam, expressar-se através de poesia não é privilégio de uns poucos. Todo ser humano tem em si a beleza poética. Acontece é que, grande parte dos poetas, jamais ousou mostrar seus ensaios, seja por timidez ou por medo de ser ridicularizado ao revelar suas emoções.
É que pra escrever poesia é preciso deixar aflorar o que está dentro do peito. Talvez por isso, os poetas estejam sempre sendo associados ao sofrimento. Porque quando sofremos, buscamos a solidão, e nossa companhia passa a ser o papel. Mas a arte de brincar com as palavras, formando frases que revelam um sentido é a maneira mais perfeita, mais próxima de comunicar ao outro o que vai dentro da gente.
O poeta Lindolf Bell escreveu: “O poema sai do estado de tensão e passa a viver, quando cria um estado de comunicação”.
E essa busca de compreensão através da palavra deve ser incentivada.
É preciso resgatar a língua portuguesa com seus milhares de verbetes, ensinar ao jovem e a criança os diferentes sentidos até de sinônimos. Não existem apenas as palavras: legal e chato, para definir tudo e todos.
A poesia precisa dos recursos da língua para atingir seu objetivo de aproximar as pessoas.
Não raro nos identificamos com o sentimento do autor ao lermos uma frase. É isso que nos faz sentir iguais, saber que nesse mundo competitivo, existem outros, que como nós, se sentem frágeis, inseguros e que questionam o sentido da existência.
É hora de evocar o legado de Lindolf Bell, que levou a poesia às ruas da maior metrópole brasileira, na década de sessenta, com a Catequese Literária. Bell quis dizer a todos que é preciso tirar os ensaios da gaveta, que a emoção da poesia pode ser declamada, que gestos, tons de voz, choro e risos, expressão do corpo e da face enriquecem o sentido da palavra escrita. Ele provou que a poesia declamada sempre encontra corações e mentes sedentos de beleza e de arte, mesmo em nosso conturbado dia-a-dia.
Vá em frente!
E quando alguém lhe chamar de piegas, incentive essa pessoa a escrever. É muito provável que ela esteja com inveja por achar que não tem alma de artista como você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget